SEGUNDA, 04/11/2019, 19:58

Advogado diz que foi legítima defesa e pede absolvição de professor acusado de matar diretor da UENP de Cornélio Procópio

Defesa da família do diretor diz que tese é completamente inconsistente e espera que réu vá a Júri Popular.

A defesa do professor Laurindo Panucci Filho, acusado de matar o diretor do campus da UENP de Cornélio Procópio, Sérgio Ferreira, entrou com um recurso no Tribunal de Justiça alegando que o professor agiu em legítima defesa e pede a absolvição dele. O advogado Diego Fiori solicita ainda que em vez de homicídio ele seja julgado por lesão corporal seguida de morte.

Sérgio Ferreira tinha 60 anos e morreu depois de ser agredido com uma machadinha dentro da universidade, poucos dias antes do Natal de 2018. Por conta da repercussão do caso, a Justiça determinou que o professor ficasse separado dos demais presos e ocupasse uma cela especial da cadeia pública de Cornélio Procópio durante o processo. O advogado afirma que Panucci Filho apenas se defendeu em uma briga que foi provocada pela própria vítima e que o professor também não teve a intenção de matar.

Os pedidos foram negados pelo juiz de primeira instância e o caso foi remetido para o Tribunal de Justiça. O julgamento do recurso pela 1ª Câmara Criminal do TJ deve ocorrer no dia 21 de novembro.

O advogado da família do diretor morto, Marcus Genovezi, diz que a tese da defesa Laurindo Panucci é completamente inconsistente.

Genovezi diz que a família espera que o TJ negue o recurso e Panucci Filho seja julgado pelo Tribunal do Júri.

Laurindo Panucci Filho foi preso em Teodoro Sampaio, no interior de São Paulo, no dia seguinte ao crime e, de acordo com a Polícia Civil, confessou ter matado o diretor.

Por Marcos Garrido

Comentários