QUINTA, 11/02/2021, 08:45

Codel envia cinco projetos para a Câmara pedindo autorização para doação de terrenos para empresas

Objetivo é ampliar capacidade produtiva de indústrias já instaladas na cidade

A prefeitura de Londrina, por meio da Codel, encaminhou à Câmara de Vereadores cinco projetos de lei para doação de terrenos para empresas já instaladas na cidade ampliarem a capacidade produtiva. As áreas variam de 900 a 48 mil metros quadrados, e têm como condição obrigatória iniciar as obras de ampliação no prazo de um ano após a doação do terreno e finalizá-las em até três anos.

O presidente da Codel, Bruno Ubiratan, afirmou que apesar dos projetos terem sido protocolados este ano, as negociações ocorrem desde o ano passado. Ele falou ainda sobre a política do município de incentivar a ampliação de empresas locais.

O maior dos terrenos fica na zona leste da cidade e será cedido à empresa Tubos Fênix, situada em Ibiporã, que trabalha com a fabricação de tubos, conexões e materiais plásticos para a construção civil, com sete anos de mercado. A empresa quer construir uma área de 8 mil metros quadrados e usar outros 23 mil metros para armazenamento de produtos a céu aberto. A expectativa é gerar 60 empregos diretos e investir R$ 3,1 milhões entre a construção, maquinário e equipamentos, sendo que 70% deste valor virá de financiamentos.

A segunda maior área fica no jardim Progresso, próximo à avenida Brasília, e receberá a ampliação do grupo Leão, que fabrica geradores e peças para motores a diesel, atua desde 1961 na cidade, e possui 11 filiais espalhadas pelo Brasil. A empresa pretende investir R$ 7,5 milhões no terreno de 12 mil metros quadrados, e projeta um aumento de 30% no faturamento após ampliar a produção na nova unidade, mantendo 60 empregos diretos.

A Femin Indústria de Madeiras, que fabrica e reforma pallets e industrializa resíduos de madeira, quer se transferir do Parque Industrial José Belinati, na zona norte, para uma área de 2,2 mil metros quadrados na mesma região, com investimento de R$ 800 mil para ampliar a produção e praticamente dobrar a quantidade de empregos, passando de 12 para 20 colaboradores.

Já o grupo de concessionárias de veículos Acanthicus, proprietária da Euro Imports, pleiteia uma área de 1.320 metros quadrados no jardim São Francisco de Assis, nas proximidades do parque Ney Braga. Segundo a Codel, são faixas de terra de difícil aproveitamento, que serão incorporadas aos lotes atuais para ampliação de área de estacionamento e saída para a avenida Ouro, aos fundos.

Por fim, A F&K, empresa de tecnologia em sistemas automotivos, quer sair da atual sede na avenida Arthur Thomas e ir para o Parque Tecnológico Francisco Sciarra, na zona leste. A companhia que produz chicotes elétricos quer ampliar a linha de produtos para segmentos agrícolas e veículos elétricos, precisando de maior estrutura, com um novo espaço de 6,3 mil metros quadrados , geração de 93 empregos diretos e faturamento anual próximo dos 20 milhões de reais.

Sobre o parque tecnológico, Bruno Ubiratan afirma que o local está consolidado com um centro de inovação.

O presidente da Codel comentou ainda sobre o andamento das obras na Cidade Industrial de Londrina, área de 42 alqueires na zona norte da cidade com 90 lotes e que já têm mais de 100 empresas interessadas.

Por Marco Feltrin

Comentários