TERCA, 18/01/2022, 08:54

Comissão especial da Câmara vai trocar documentos com Ministério Público para investigar contratos do transporte coletivo

Um novo pedido de reequilíbrio financeiro no valor de 30 milhões teria sido solicitado pelas empresas.

A presidente da Comissão Especial dos Transportes Públicos da Câmara de Londrina, Mara Boca Aberta, esteve com o promotor do Grupo de Proteção ao Patrimônio Público (Gepatria), Ricardo Benvenhu, para discutir os repasses da prefeitura de Londrina para as empresas de ônibus visando o reequilíbrio econômico financeiro nos contratos de operação do transporte coletivo na cidade.

Além da investigação da comissão, o Ministério Público também abriu inquérito para apurar os detalhes do repasse de R$ 21 milhões feito no ano passado com a justificativa de queda no volume de passageiros provocada pela pandemia da Covid-19.

Além desse montante, outros R$ 25 milhões serão subsidiados pelo município neste ano para chegar ao valor de 4 reais na tarifa de ônibus, estabelecido no projeto de lei aprovado pela Câmara e sancionado pelo prefeito no início do ano.

Segundo Mara Boca Aberta, ficou definido que a Comissão Especial e a promotoria trocarão documentos com o objetivo de fortalecer ambas investigações e dirimir dúvidas em relação aos contratos e a um novo pedido de reequilíbrio no valor de R$ 30 milhões feito pelas empresas.

A Comissão Especial foi criada em junho do ano passado e iniciou os trabalhos com o foco voltado para a estrutura dos terminais urbanos e a qualidade dos ônibus em circulação. Com a análise dos contratos, a comissão priorizou a cobrança por explicações sobre o aporte de R$ 21 milhões, incluindo uma sabatina de quase quatro horas com o prefeito Marcelo Belinati no dia 14 de dezembro, questionando a falta de transparência no repasse dos recursos e as alternativas para cobrança da tarifa.

Por Marco Feltrin

Comentários