SEXTA, 22/05/2020, 19:45

Confirmada morte de idoso de 94 anos por COVID-19 em abrigo de Londrina

Prefeito diz que principal preocupação é com o fato de que muitos funcionários dos asilos trabalham em diferentes locais e secretário de Saúde promete testagem e ampliação das medidas de proteção.

Além do prefeito Marcelo Belinati, participaram da entrevista coletiva convocada para esclarecer as circunstâncias da morte do idoso de 94 anos por COVID-19 em um abrigo da cidade, o secretário Municipal de Saúde, Felippe Machado, e a secretária do Idoso, Andréa Danelon. O nome do asilo não foi divulgado, mas, segundo o prefeito, a instituição é uma das três conveniadas ao Município e tem 75 idosos e 52 funcionários trabalhando.

O senhor de 94 anos começou a sentir os sintomas da doença na segunda-feira, mas só na quarta foi internado. Ele faleceu na quinta-feira, ainda de madrugada, antes mesmo do resultado do exame. O prefeito citou as mortes em série de idosos, por conta da COVID-19, que ocorreram em abrigos de outros países e disse que a principal preocupação é o fato de que muitos dos mais de 400 funcionários dos 18 asilos conveniados e particulares de Londrina trabalham em diferentes locais e podem ser um fator de propagação do vírus. 

Nas três instituições conveniadas ao Município são 235 idosos e 176 funcionários. Já as 15 particulares têm um volume maior, 354 idosos e 235 trabalhadores.

A secretária Municipal do Idoso, Andrea Danelon, destacou a facilidade de transmissão do vírus nos asilos e a alta taxa de letalidade da doença, que chega a 15%. A secretária afirmou ainda que as instituições vinham sendo monitoradas e destacou as novas normas de segurança para os asilos, publicadas pelo Município durante a pandemia, como a quarentena de 14 dias para os novos moradores.

O secretário de Saúde, Felippe Machado, anunciou um plano para conter a propagação da doença nos abrigos da cidade. No caso da instituição onde ocorreu a morte do idoso, além da ampliação de algumas medidas de segurança, todos os funcionários e moradores vão ser testados. Os exames começaram ser feitos nesta sexta-feira.

Segundo a prefeitura, os EPIs para os abrigos vão ser fornecidos pelo Município e as instituições vão ser monitoradas semanalmente.

Por Marcos Garrido

Comentários