QUARTA, 15/09/2021, 15:56

Equipes da Copel e CMTU seguem trabalhando para normalizar fornecimento de energia e liberar ruas

De acordo com meteorologista, volume de chuvas que caiu sobre a cidade em menos de 24 horas chegou a 30 milímetros. Rajadas de vento chegaram a 71 km/h.

As consequências do temporal que atingiu Londrina na tarde de terça-feira seguem dando trabalho para as equipes da Companhia Paranaense de Energia (Copel) e Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU).

A quarta-feira foi de muito serviço em diferentes pontos da cidade. Ainda pela manhã, aproximadamente quatro mil imóveis ainda estavam sem energia na região. No período da tarde, de acordo com a atualização, este número caiu para três mil unidades que continuam sem eletricidade. O departamento de manutenção segue realizando os reparos na rede e a expectativa é de que a maior parte seja restaurada até o fim desta quarta. Apesar disso, alguns atendimentos, de maior complexidade, podem se estender até quinta-feira.

Segundo Heverly Moraes, agrometeorologista do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR-PR), em apenas 24 horas, foram registrados 30 milímetros de chuva aqui na cidade. Em alguns pontos, no entanto, este volume pode ter chegado a 50 milímetros. Os ventos também foram fortes e alcançaram os 71 Km/h.

Ela explica que o temporal desta semana não era esperado, mas que pode ocorrer com mais frequência nesta época do ano e está relacionado à mudança das estações e também ao calor dos últimos dias.

Em Londrina, o abastecimento de água já foi completamente recuperado, de acordo com informações da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar). Apesar disso, em outras cidades da região, a distribuição continua comprometida, como é o caso de alguns bairros de Rolândia e de Porecatu.

O funcionamento dos semáforos também foi reestabelecido. As equipes da CMTU agora se concentram na remoção de árvores que caíram. Segundo o levantamento da Defesa Civil, 31 quedas foram contabilizadas. As ruas, porém, já não estão mais bloqueadas e este trabalho pode levar mais alguns dias para ser finalizado.

A agrometeorologista afirma que novas pancadas podem ser registradas até esta quinta-feira, em volume menor, quando comparado ao temporal de terça. Ela destaca que as chuvas devem ajudar na recuperação da estiagem prolongada que vive o estado.

Heverly Morais aponta ainda que, com a chegada da primavera, as chuvas na região devem se tornar mais recorrentes, em relação ao inverno, estação mais seca do ano. Apesar disso, ela afirma que a previsão é de que o volume dos meses de setembro e outubro continuem abaixo da normal climatológica para o período.

 

Nota retorno (atualização)

Ao longo da tarde de quarta-feira, as equipes da Copel continuaram realizando operações de manutenção dos sistemas. Com isso, o número de imóveis que seguem sem energia na região caiu para cerca de 1.000. Aproximadamente 450 unidades estão localizadas em Londrina e outras 560 estão em Cambé.

Por Victor Assis

Comentários