SEGUNDA, 04/07/2016, 06:30

Estudo afirma que “puxadores de voto” têm menos impacto nas eleições do que se imagina

De acordo com pesquisador da UFPR, somente 10% dos candidatos se elegem com base nos votos de políticos mais populares.

O fenômeno é comum nas eleições para vereadores e deputados estaduais e federais. São candidatos conhecidos como “puxadores de votos”. Geralmente, celebridades, figuras muito conhecidas entre a população que conseguem conquistar facilmente a simpatia do eleitorado. O exemplo mais comum talvez seja o do palhaço Tiririca, deputado federal pelo estado de São Paulo. Porém, uma pesquisa do cientista político Márcio Carlomagno, da Universidade Federal do Paraná, afirma que esses candidatos têm menos impacto do que se imagina. Segundo Carlomagno, em média somente 10% dos políticos conseguem se eleger a partir dos votos dos “puxadores”.

A análise levou em conta as eleições de 2008, 2010, 2012 e 2014. O cientista político apontou que, apesar de muitos se elegerem formalmente com base no quociente eleitoral, esses mesmos candidatos também recebem muitos votos por si próprios. Um exemplo foi a última eleição para deputado federal no Paraná.

Com isso, de acordo com Márcio Carlomagno, cai por terra a teoria de que muitos dos que estão nas câmaras de vereadores, assembleias legislativas e na Câmara dos Deputados não teriam votos suficientes para alcançar os cargos sozinhos.

Comentários

Publicidade