QUARTA, 09/06/2021, 16:39

Indicação para que presos sejam vacinados provoca discussão quente na Câmara

Vereadores defendem que população carcerária não seja priorizada neste momento em que vários grupos ainda não foram imunizados

Uma indicação proposta pela vereadora Lenir de Assis para o governo do estado provocou polêmica na sessão desta terça-feira da Câmara de Vereadores de Londrina. O pedido era para que o governo determinasse, com urgência, a vacinação de funcionários de penitenciárias e presos em Londrina.

Segundo a vereadora, a imunização está presente no Plano Estadual de Vacinação em 17o e 18o lugar em uma lista com 30 categorias, acima, por exemplo, de trabalhadores da educação do ensino básico, que já estão sendo vacinados. De acordo com a estimativa do plano, o Paraná tem 61.465 detentos e 4.852 funcionários aptos a receberem a vacina.

A solicitação provocou revolta de grande parte dos vereadores, que vetaram a indicação com 14 votos contrários, três abstenções e apenas um voto favorável, da própria Lenir.

O vereador Giovani Matos foi um dos principais críticos à indicação proposta por Lenir de Assis. Segundo ele, presos já condenados por crimes praticados na sociedade não podem ter prioridade em relação a outras categorias que esperam pela vacina para continuar exercendo suas atividades em segurança.

Durante a discussão da indicação, a vereadora Lu Oliveira fez duras críticas ao governo pela lentidão no fornecimento das vacinas a toda a população.

Por Marco Feltrin

Comentários