QUINTA, 17/06/2021, 18:04

Juiz determina, mais uma vez, a prisão do deputado federal Boca Aberta

Emerson Petriv reagiu à sentença, se disse perseguido, atacou promotores e o magistrado autor da decisão.

O novo pedido de prisão do deputado federal Emerson Petriv, o Boca Aberta, foi expedido pelo juiz da Vara de Execuções Penais de Londrina, Katsujo Nakadomari, na terça-feira. O motivo da prisão foi, mais uma vez, por perturbação do sossego. Os advogados do deputado chegaram a pedir ao juiz que fosse reconhecida a chamada continuidade delitiva entre as duas ações a que ele responde, como se fossem uma só contravenção penal.

Mas, o magistrado indeferiu o pedido e determinou o cumprimento de mais uma pena, dessa vez de 22 dias, em regime semiaberto pelo deputado. Nas redes sociais, Emerson Petriv falou em vergonha e disse que está “aberta a temporada de perseguição e caça à família Boca Aberta pelo judiciário londrinense”.

Na tarde desta quinta-feira, em um áudio distribuído à imprensa, o deputado chamou a decisão de piada, fez trocadilhos com o nome do magistrado que proferiu a sentença e disse ainda que existe um consórcio de juízes e promotores londrinenses para perseguir ele e a família.

Boca Aberta disse ainda que tem recebido uma série de reclamações sobre problemas no atendimento da UPA Sabará, referência no atendimento da Covid, mas, que por conta dessa suposta perseguição, seu direito de fiscalizar está sendo cerceado.

No dia 15 de janeiro deste ano, Boca Aberta teve outro mandado de prisão expedido pelo mesmo juiz. Condenado a 17 dias no regime semiaberto por perturbação de sossego, o deputado federal se apresentou para cumprir a pena no Centro de Reintegração Social de Londrina, no dia 26 do mesmo mês. Pouco mais de 48 horas depois, o parlamentar deixou o Creslon.

No alvará de soltura, o juiz proibiu Boca Aberta de frequentar unidades de saúde da cidade e determinou que ele ficasse em casa das 9h da noite às 6h da manhã. O deputado foi condenado por constranger servidores da Unidade de Pronto Atendimento do Jardim do Sol, na zona oeste de Londrina, em janeiro de 2017, quando realizava mais uma das chamadas Blitz da Saúde.

Por Marcos Garrido

Comentários