QUARTA, 16/10/2019, 10:08

Morte no Bosque reacende discussão sobre segurança no local

Para mundanças, espaço deixará de ser área de preservação permanete

O caso de um chef de cozinha encontrado morto no Bosque Central reacendeu as discussões sobre a necessidade de mudanças no espaço. Um grupo de trabalho criado na Câmara de Vereadores discute projetos para revitalizar o centro histórico de Londrina, com foco principalmente no bosque.
Arquitetas do Ippul apresentaram uma proposta que garante a preservação de árvores nativas, porém com cortes que permitam o aumento da incidência da luz solar, além de iluminação em LED e outras intervenções. Para o presidente da Comissão de Política Urbana, Gerson Araújo, as ações devem aumentar a segurança no local.

Ainda tramita na Câmara um projeto de lei que muda o código ambiental do município e faz com que o bosque deixe de ser uma área de preservação permanente. Com isso, estariam autorizadas alterações mais severas no espaço. E para que a mudança seja efetivada, opiniões de várias entidades ligadas ao setor ambiental serão ouvidas.

Por Marco Feltrin

Comentários

Publicidade