SEGUNDA, 06/07/2020, 19:18

Polícia Militar e Guarda Municipal não chegam a acordo sobre fiscalização conjunta de decreto estadual da quarentena

Sem definição sobre parceria, o que se viu nesta segunda-feira em Londrina foi um jogo de empurra entre as autoridades de segurança e parte do comércio funcionando.

Fizemos contato com o 2º Comando Regional da Polícia Militar, responsável pelo policiamento de 90 cidades da região Norte, incluindo Londrina, com o 5º Batalhão e a 4ª Companhia Independente, para conseguir informações sobre quais as orientações da PM em relação à fiscalização do Decreto Estadual que determina o fechamento das atividades não essenciais. Mas, fomos informados pelo Comando Regional que a unidade tem como prioridade atender às demandas logísticas de Batalhões e Companhias ligadas a ele e que a definição sobre como vão atuar as unidades depende de cada um dos seus comandantes. 

Partimos então para conseguir a informação com a 4ª Companhia Independente da Polícia Militar, responsável por toda a zona norte da cidade, boa parte da região oeste, e uma população estimada em 250 mil pessoas. Fizemos contato por aplicativo de mensagem com o comandante da 4ª Cia, major Marcos Tordoro, que nos pediu que procurássemos o 2º Comando Regional. A reportagem da CBN Londrina explicou que já havia falado com o comando regional, que teria passado a palavra para o comandante de cada Companhia ou Batalhão. Mas, o major afirmou, mais uma vez, que deixaria para o comando da PM se pronunciar.

Também solicitamos entrevista à Guarda Municipal de Londrina, mas o Núcleo de Comunicação da Prefeitura informou que o secretário de Defesa Social não falaria sobre o assunto. A Guarda Municipal divulgou apenas uma nota informando que está auxiliando a Polícia Militar, quando acionada, e que continua cumprindo as fiscalizações dos decretos municipais que continuam vigentes, como o da obrigatoriedade do uso de máscara e interdição dos parques e praças públicas.

Mas, em resposta a um ofício encaminhado pelo comandante do 5º Batalhão da PM, major Villa, solicitando apoio para a fiscalização do decreto estadual, o secretário Municipal de Governo, Juarez Tridapalli, usou outro tom. No comunicado ao comandante, ele afirma que “como quem mandou fechar o comércio e os serviços em Londrina foi o Governo do Estado e não a Prefeitura, a fiscalização das medidas restritivas é de competência dos órgãos do Governo do Estado”.

No ofício, o secretário Municipal de Governo diz ainda que, em relação à parte do decreto que estabelece a cooperação das Guardas Municipais quando possível, o estado não poderia ter delegado essa competência para um órgão de outro ente federativo, como é o caso, diz que para isso seria necessário, no mínimo um convênio, e cita as Ações Integradas de Fiscalização Urbana, como uma dessas parcerias com a PM. Tentamos falar com o secretário Juarez Tridapalli, mas até o fechamento da reportagem não conseguimos contato.

Por Marcos Garrido

Comentários