TERCA, 01/06/2021, 08:22

Prefeitura de Londrina presta conta dos quatro primeiros meses do ano

Destaque fica para o aumento acima dos 10% na arrecadação de impostos

A tarde de segunda-feira foi recheada de números na audiência pública remota realizada pela Câmara de Vereadores
de Londrina para prestação de contas do primeiro quadrimestre do ano, entre janeiro e abril. Além dos números do
Legislativo, foram apresentadas as contas da prefeitura e separadamente o balanço da área da saúde.

A prefeitura arrecadou 861 milhões de reais no período, com destaque para o aumento de 10,90% na receita vinda de
impostos se comparado ao mesmo período do ano passado. Só de IPTU, entraram no caixa da prefeitura 205 milhões
de reais, crescimento de 9,93% em relação ao primeiro quadrimestre de 2020. No ISS a alta é ainda maior: 14,67%,
com 85 milhões de reais no caixa. Entre as receitas transferidas, a maior alta é no Fundo de Participação dos
Municípios, com 33,9 milhões de reais, 19,94% acima do registrado no ano passado. De ICMS, o município recebeu 71
milhões, 14,49% a mais que em 2020. A única queda é no IPVA, 4,42% abaixo, justificada pelo aumento no
parcelamento até o mês de junho.

Em relação aos gastos da prefeitura, destaca-se o aumento da verba destinada à saúde por conta do combate à
pandemia da Covid-19. Foram empenhados até agora 108 milhões de reais, 30 milhões acima do mínimo previsto pela
constituição, que exige pelo menos 15% do orçamento nesta área. Em contrapartida, na educação, para onde são
reservados por lei 25% do orçamento do ano, foram gastos 35 milhões, 6,8% do total previsto.
Chamou a atenção durante a apresentação o detalhamento da dívida consolidada do município, atualmente em 534
milhões de reais. Em alguns casos, o negativo se refere ao financiamento de obras como Superbus, Arco Leste e
compra de terrenos pela Cohab. Por outro lado, mais de um terço da dívida é relacionada à Caapsml, em um total de
206 milhões de reais, além de 127 milhões em precatórios, incluindo 106 milhões de uma ação judicial envolvendo a
Transportes Coletivos Grande Londrina, como explica o secretário de Fazenda João Carlos Barbosa Perez.

A Câmara de Vereadores também prestou contas dos quatro primeiros meses do ano, quando foram gastos 10,3
milhões de reais, 24,8% do total do orçamento previsto para 2020. A grande maior parte dos recursos, 86,8%, é
destinada à folha de pagamento de servidores e comissionados, além dos encargos sociais. O Legislativo tem direito a
4,5% das receitas tributárias do município, o que representaria 53,7 milhões de reais para 2021, porém a Câmara abriu
mão de 12,2 milhões de reais, que permanecem nos cofres da prefeitura.

Por Marco Feltrin

Comentários