SEGUNDA, 30/09/2019, 06:20

Procuradoria Geral entra com ação na justiça para receber do Provopar Londrina os mais de R$ 2,1 milhões

A falta de prestações de contas em convênios celebrados entre os anos de 2015 e 2017 gerou a dívida da entidade com o município.

Desde o ano passado a Controladoria Geral do Município está apurando convênios do Provopar com a prefeitura.

Os repasses a entidades foram suspensos depois de contratos apresentarem problemas na prestação de contas desde 2015 e continuou ao longo de 2017.

A Controladoria Geral pede que R$ 2,1 milhões sejam devolvidos a prefeitura pelo Provopar.

O Provopar Londrina já anunciou que a instituição não tem como devolver os recursos.

A Procuradoria Geral do Município – PGM recebeu os pedidos da Controladoria para que tome providências em relação a ações de ressarcimento dos valores dos convênios. São cinco convênios diferentes, que devem geraram sete ações na Justiça.

De acordo com o procurador geral, João Esteves, agora a ação segue, e é possível que os administradores da época tenham que restituir os valores, já que a instituição não tem como devolver.

Esteves reforça que não foi má fé na gestão, mas os recursos foram mal administrados.

Os tramites das ações estão em fases iniciais.

Por Bruno Carraro

Comentários