SEGUNDA, 25/01/2021, 19:28

Secretaria da Saúde faz balanço da vacinação em Londrina

Com chegada da vacina de Oxford, cerca de 60% dos profissionais da Saúde serão imunizados.

Após uma semana do início da campanha de vacinação contra a Covid-19, Londrina vacinou mais de 5.500 pessoas com doses da Coronavac, do Instituto Butantan em parceria com a chinesa Sinovac. O município recebeu cerca de 9 mil doses do imunizante, que segue sendo aplicado no grupo prioritário nesta primeira etapa.

14 equipes volantes da Secretaria Municipal de Saúde estão percorrendo pontos da cidade para vacinar profissionais da linha de frente, no enfrentamento à pandemia no município, como também estão visitando instituições de longa permanência para aplicar o imunizante em idosos e funcionários dos locais.

O secretário municipal de Saúde, Felippe Machado afirma que o percentual de vacinação alcançado até o momento é motivado pela logística interna e escalas de trabalho de cada local atendido. Das Instituições de Longa Permanência para Idosos, quatro ainda não receberam o imunizante, porque aguardam resultados de testes para a Covid-19.

Segundo o secretário, com a chegada da vacina de Oxford, cerca de 60% de todos os profissionais da Saúde serão imunizados. Londrina recebeu 6670 doses do imunizante, desenvolvido pela universidade britânica em parceria com a farmacêutica AstraZeneca, e distribuído pelo governo federal. A aplicação desta vacina já começou no Hospital Universitário na tarde desta segunda-feira.

Machado ainda afirma que a expectativa para as próximas semanas é de receber novos lotes da Coronavac. De acordo com o secretário, o Instituto Butantan encaminhou ao Ministério da Saúde 900 mil novas doses do imunizante e acredita que o município possa receber um percentual desta totalidade. Ele ainda destaca que pessoas que integram o grupo prioritário da vacinação e receberam a primeira aplicação da vacina já têm a segunda dose garantida. A chegada delas está prevista para 10 dias.

O Plano Municipal de Imunização contra a Covid-19 prevê que, após a vacinação do primeiro público-alvo, idosos com mais de 60 anos recebam doses do imunizante. Posteriormente, devem ser vacinadas pessoas com comorbidades, como diabetes, câncer, hipertensão. O quarto público-alvo engloba professores, agentes penitenciários, forças de segurança, dentre outros profissionais.

Por Victor Assis

Comentários