SEGUNDA, 23/11/2020, 18:48

Sesa monitora números da Covid-19 na região para decidir se reativa leitos de UTI ainda esta semana

Com ameaça de colapso no atendimento da capital na semana passada, Secretaria de Saúde reabriu quase 40 vagas de terapia intensiva e Beto Preto criticou falta de respeito ao distanciamento.

Primeiro veio a suspensão do processo de desativação dos leitos, que vinha ocorrendo de maneira gradual desde setembro. Na última sexta-feira, o secretário Estadual de Saúde, Beto Preto, anunciou a reativação de vagas de UTI no interior do estado, já partir dessa semana. A informação foi dada logo após a ativação de 38 deles em Curitiba, que já enfrenta um avanço rápido do número de casos. No fim de semana, o secretário também emitiu um comunicado afirmando que apesar da reativação dos leitos, a população precisa fazer mais um esforço e colaborar.

Beto Preto disse ainda que não faltaram leitos de UTI até agora e que o Governo do Estado está atuando de maneira firme e descentralizada para assegurar as vagas necessárias, mas afirmou que os leitos disponíveis não podem ser justificativa para que as pessoas façam festas ou churrascos com amigos.

Em entrevista à CBN Curitiba, o secretário de Saúde afirmou que o aumento da quantidade de casos no estado neste momento não era esperado, criticou a falta de respeito ao distanciamento social e disse que com a ameaça de colapso da semana passada, a Sesa decidiu reativar os quase 40 leitos para a capital e Região Metropolitana. Por enquanto, nenhuma data para a reativação de leitos UTI aqui na região norte, apenas uma movimentação nesse sentido, como frisou Beto Preto.

Nesta segunda-feira, questionada pela CBN Londrina sobre a reativação das UTIs aqui na cidade e na região, a Sesa informou apenas que está estudando as possibilidades junto aos hospitais, conforme a demanda. Mas, não falou sobre reabertura imediata das UTIs por aqui. A Secretaria também destacou na nota que possui uma Central de Regulação de Leitos e uma ampla rede hospitalar onde são concentrados os pedidos de transferências de pacientes.

O remanejamento, segundo a Sesa, é comum e pode ocorrer dentro das macrorregiões, de acordo com a disponibilidade de leitos e que em caso de lotação de uma unidade, nenhum paciente fica desassistido. De acordo com a nota, a proposta de retomada das vagas de UTI já estava prevista em uma norma interna da Secretaria, que trata dos critérios para desativação e ativação de leitos exclusivos da Covid-19 no Estado.

Pela regra da Sesa, a ativação de leitos só deve ocorrer a partir da estabilidade no crescimento da ocupação no estado ou em cada macrorregião acima de 75% por mais de 14 dias.

Desde setembro, tinham sido desativados pela Secretaria um total de 232 leitos de UTI adulto, 447 enfermarias adulto, 27 leitos de UTI pediátrica e 35 enfermarias pediátricas. Todos específicos para a Covid-19.

Por Marcos Garrido

Comentários