QUINTA, 02/09/2021, 18:03

Volume de chuvas em Londrina ficou 74% abaixou da média histórica para agosto

Com apenas 17 milímetros registrados, meteorologista do Simepar diz que praticamente não choveu na região. Outras áreas do Paraná também apresentaram saldo negativo no último mês.

De acordo com o balanço divulgado, na última quinta-feira (2), pelo Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar), o volume de chuvas registradas em agosto ficou abaixo do esperado em grande parte do estado.

Com exceção de Guarapuava, da Região Metropolitana de Curitiba e do Litoral, as demais regiões apresentaram resultados preocupantes. No Sudoeste, por exemplo, choveu cerca de 60 milímetros a menos, em comparação aos parâmetros normais para o período.

No entanto, segundo o meteorologista Reinaldo Kneib, a região mais afetada pela seca foi o Norte do estado. O percentual de chuvas em Londrina, de acordo com o Sistema, ficou 74% abaixo do nível considerado regular em agosto, com apenas 17 milímetros registrados. Para o mês, eram esperados 59 milímetros.

Além das queimadas, ele explica que a estiagem prolongada que vive o estado pode ser causada por uma série de fatores e eventos climáticos, como a La Niña, que altera o regime de chuvas na América do Sul, assim como o avanço do desmatamento da Amazônia, que acaba impedindo a chegada de mais umidade para o sul do país.

Com um déficit hídrico preocupante no Paraná, a chegada do mês de setembro e o início da primavera, deve trazer certo alívio ao estado. No entanto, de acordo com Kneib, as próximas chuvas não devem solucionar os problemas provocados pela seca.

De acordo com o meteorologista, a falta de chuva não é exclusividade do Paraná. Ele explica que toda a região centro-sul vem passando por uma crise hídrica nos últimos anos, com impactos diretos na saúde da população e também na produção agrícola do país.

Por Victor Assis

Comentários