QUINTA, 09/09/2021, 18:13

Após protesto e divulgação de "fake news", Câmara retira de pauta projeto que prevê a criação do Conselho Municipal dos Direitos LGBT em Londrina

Proposta vai ficar de fora da pauta por quatro sessões para que informações desencontradas, divulgadas por quem é contra o conselho, sejam esclarecidas pela prefeitura.

A sessão desta quinta-feira (9) da Câmara Municipal de Londrina foi marcada por um protesto contra o projeto de lei, de autoria da prefeitura, que prevê a criação do Conselho Municipal dos Direitos LGBT na cidade. Participaram da manifestação cerca de 50 pessoas, entre representantes de grupos conservadores da cidade e membros da Igreja Batista. Eles cruzaram o Centro Cívico em protesto e foram até o prédio do Executivo, onde pediram uma audiência com o prefeito Marcelo Belinati, o que não aconteceu. Os manifestantes pedem pelo arquivamento do projeto.

A advogada Fernanda Carvalhaes, candidata a vereadora em Londrina nas últimas eleições municipais, esteve à frente do protesto nesta quinta-feira. Ela disse que a criação do conselho municipal fere os princípios da família, e garantiria aos LGBTs tratamento diferenciado.

Além do protesto, a tramitação do referido projeto foi cercada pela disseminação de informações falsas, que não condizem com o teor da proposta. As fake news apontaram que o conselho seria deliberativo, e que os membros dele iriam receber salários da prefeitura, o que é mentira. De acordo com o projeto, o conselho vai ser consultivo, formado por 20 integrantes, sendo metade indicada pelo poder público e outra metade eleita no âmbito de entidades da sociedade civil, e terá o objetivo de propor diretrizes para ações voltadas à promoção da cidadania e dos direitos dos LGBTs, além de meios para o enfrentamento de toda e quaquer forma de discriminação e violência sofrida por essa população.

Diante de tanta polêmica, a prefeitura optou por retirar o projeto de pauta. Segundo o líder do Executivo na Câmara, vereador Fernando Madureira, a proposta vai ficar de fora da pauta por quatro sessões para que as informações desencontradas e mentirosas, divulgadas nas últimas semanas, sejam esclarecidas pela prefeitura.

Integrante do Fórum LGBT de Londrina e região, Vinícius Bueno disse que o projeto para a criação do conselho é resultado do ativismo realizado pela população LGBT na cidade em prol de respeito e mais direitos. Na avaliação dele, a criação da comissão é de fundamental importância para que políticas públicas voltadas à proteção de gays, lésbicas, travestis e transexuais sejam criadas no município. Conforme ele, os LGBTs não querem tratamento diferenciado, mas a equiparação de direitos.

Sobre a retirada de pauta do projeto, Bueno disse que ela foi estratégica para que a prefeitura consiga esclarecer as dúvidas dos vereadores que ainda estão indecisos. Ele garantiu não temer a pressão feita pelos conservadores, e disse acreditar que, apesar de toda a polêmica, a proposta ainda será aprovada na Câmara.

Por Guilherme Batista

Comentários