TERCA, 10/08/2021, 17:37

Campanha de atualização do rebanho chega a quase 90% das propriedades paranaenses

Além da multa, produtores que não realizarem o procedimento ficam impedidos de emitir a Guia de Trânsito de Animais para o abate ou o transporte entre propriedades.

A campanha, promovida pela Agência de Defesa Agropecuária do Paraná, foi encerrada com quase 90% das propriedades do estado registradas. A atualização do rebanho é obrigatória para todos os produtores de bovinos, búfalos, ovinos, caprinos, suínos, aves de produção e equídeos. A campanha foi de 1º de maio a 30 de junho. Nesse período, a atualização cadastral podia ser feita de forma online. Agora, os produtores têm apenas a opção de procurar a Unidade da Adapar mais próxima de sua propriedade. A não atualização do rebanho pode gerar uma multa de pouco mais de R$ 1mil.

Segundo o governo, a atualização é fundamental para que o Estado saiba qual o tamanho e a distribuição do rebanho e possa agir rápido em caso de doenças. Sem prejuízo à manutenção do status internacional de área livre de aftosa sem vacinação, confirmado pela Organização Mundial de Saúde Animal em maio passado.

De acordo com o gerente de Saúde Animal da Adapar, Rafael Gonçalves Dias, as unidades regionais com índices mais baixos de adesão à campanha foram as de Ponta Grossa, União da Vitória e Curitiba, que chegaram a apenas 70% dos produtores com o procedimento realizado. Segundo o gerente, o índice de quase 90% é considerado positivo pela Agência, que agora vai iniciar uma busca ativa pelos que não fizeram a atualização.

Além da multa de R$ 1mil, os produtores que não fizerem a atualização do rebanho nas Unidades Locais da Adapar, ficam impedidos de emitir a Guia de Trânsito de Animais, a GTA, para o abate ou o mesmo o transporte entre propriedades.

 

Com informações da Agência Estadual de Notícias.

Por Marcos Garrido

Comentários