QUARTA, 28/10/2020, 09:11

Candidatos a prefeito já gastaram quase 900 mil reais na campanha em Londrina

Arrecadação, vinda principalmente do fundo partidário, soma quase dois milhões de reais

Terminou o prazo dado pela Justiça Eleitoral para a primeira prestação de contas da campanha para as eleições municipais deste ano. Até o momento, foram gastos 890 mil reais pelos dez candidatos a prefeito de Londrina. Já a arrecadação chega a um milhão e 983 mil reais, sendo 95% deste valor vindo do fundo partidário. Os dados estão disponíveis no sistema DivulgaCandContas, do Tribunal Superior Eleitoral.

Quem mais arrecadou até o momento foi Tiago Amaral, do PSB, com 633 mil reais, sendo 600 mil do próprio partido e o restante doação de pessoas físicas em valores que variam de mil a 3 mil reais cada. O deputado também é o que mais gastou até agora: 276 mil reais, sendo 170 mil com produção de programas de rádio e televisão.

O vice-campeão em arrecadação é Márcio Stamm, do Podemos, com 554 mil reais, dos quais 528 mil vêm do partido, 10 mil do próprio candidato e outros 17 mil de doações de três pessoas físicas. Ele gastou até o momento 228 mil reais, sendo 91 mil na criação de páginas na internet e 54 mil em impulsionamento de conteúdos.

O prefeito Marcelo Belinati é o terceiro que mais recebeu verba e o segundo que mais gastou. Foram 300 mil reais vindos do Partido Progressista, 1.850 reais do próprio bolso e outros 1.600 de um doador pessoa física. Já em relação aos gastos, 232 mil reais, a maioria foi empenhada na produção de propaganda eleitoral digital e impressa.

Júnior Santos Rosa, do Republicanos, arrecadou até agora 252.900 reais, sendo 2.900 dele mesmo e o restante do partido. Quanto aos gastos, foram declarados até o momento apenas 2.900 reais em criação de páginas na internet.

Carlos Scalassara, do PT, é o que possui maior déficit até o momento. Recebeu 59 mil reais do Partido dos Trabalhadores e  gastou 66.849, entre despesas com pessoal, produção de programas e serviços de terceiros.

Barbosa Neto recebeu 150 mil reais do PDT e outros 1.500 reais de pessoa física, mas declarou gastos de 73 mil reais, principalmente com pessoal e serviços advocatícios.

Águila Misuta, do MDB, é o único que, até o momento, tem apenas ele mesmo como doador, no valor de 21 mil reais, dos quais 17 já foram gastos com publicidade e produção de programas para o horário eleitoral.

Boca Aberta, do PROS, declarou ter recebido 881 reais de duas pessoas físicas, mas não confirmou gasto nenhum com a campanha até agora.

Álvaro Loureiro, do Partido Verde, não apresentou nenhuma movimentação de recursos ou despesas. Já Márcio Sanches, do PC do B, ainda não enviou a prestação de contas à Justiça Eleitoral.
O coordenador de contas eleitorais e informações partidárias do TRE do Paraná, Paulo Sergio Esteves, informou que a primeira parcial de contas pode ser entregue até o dia do primeiro turno da eleição, 15 de novembro.

A última prestação de contas deve ser entregue até 15 de dezembro, sob risco de proibição de assumir o cargo pelo candidato e perda de recursos do fundo partidário pela legenda.

Por Marco Feltrin

Comentários