SEGUNDA, 30/12/2019, 17:17

Capitão da Polícia Militar que trabalhava no Gaeco é preso ao tentar extorquir empresário

Oferta era de 100 mil reais para que uma investigação não fosse iniciada

Um capitão da Polícia Militar que pertence ao Gaeco, Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado, foi preso suspeito de corrupção passiva. Lotado em Foz do Iguaçu, Elias Wanderley Marinho foi preso em Curitiba ao receber de um empresário R$ 20 mil em forma de extorsão para não denunciá-lo. As notas estavam rubricadas, o que colaborou para o flagrante. A oferta do policial para que não iniciasse uma investigação contra o empresário girava em torno de R$ 100 mil.
O coordenador do Gaeco no Paraná, Leonir Batisti, lamentou o ocorrido e falou sobre as investigações.


O promotor afirmou que o empresário tinha contrato com o poder público, mas não era alvo de investigações do Gaeco.

O capitão da Polícia Militar foi afastado das funções e está preso na sede da corregedoria da Polícia Militar.

Por Marco Feltrin

Comentários