SEGUNDA, 13/09/2021, 07:01

Com aumento do número de golpes na internet, usuários precisam estar atentos para se proteger

Especialista em Direito Cibernético dá dicas para não cair em fraudes nas redes sociais.

Ao longo de um ano e meio de pandemia, o uso dos meios digitais pela população passou um por crescimento significativo. Acompanhando este movimento, o número de golpes praticados em ambiente virtual também se multiplicou.

A quantidade de queixas relacionadas ao repasse, coleta, publicação e consulta de dados pessoais e financeiros não autorizados no primeiro semestre deste ano já supera todos os registros de 2020, de acordo com os dados do canal de reclamações do Governo Federal, passando de 21.300 denúncias para mais de 47 mil.

Fernando Peres, advogado especialista em Direito Cibernético, explica que é preciso estar sempre atento, em especial, nas redes sociais. Segundo ele, em alguns casos, criminosos se passam por empresas e estabelecimentos, como casas de shows, lojas e restaurantes, e oferecem descontos, com objetivo de ter acesso a códigos que permitem invadir o celular da pessoa, possibilitando que o grupo aplique outros golpes.

Em situações em que o número do WhatsApp tenha sido clonado, Perez afirma que a vítima deve agir o quanto antes, informando à operadora telefônica sobre a invasão e solicitando o bloqueio ou a transferência do contato. Além disso, ele destaca que é importante avisar aos familiares e amigos próximos sobre o ocorrido, para que fiquem atentos a qualquer tentativa de golpe por meio do aplicativo.

O advogado aponta ainda que as empresas podem se proteger de algumas maneiras. Uma delas é contratando um serviço de monitoramento das redes sociais. Esse controle, no entanto, também pode ser feito de forma manual. Em muitas vezes, outros usuários avisam sobre a existência de contas falsas e, com isso, o estabelecimento pode tomar as medidas necessárias para resolver o problema.

De acordo com o advogado Fernando Peres, quem aplica estes tipos de golpes pode ser enquadrado em diversos crimes, como invasão de dispositivo informático, falsidade ideológica e estelionato, que podem, inclusive, acarretar em prisão, conforme a análise do caso. Ele reforça, porém, a importância de a vítima buscar amparo e assistência rapidamente, para que as chances de identificar o autor dos golpes sejam maiores.

Por Victor Assis

Comentários