QUARTA, 25/03/2020, 19:15

Coordenador do Procon diz que fiscalização está nas ruas para coibir aumento abusivo de preços

Gustavo Richa afirma ainda que dezenas de notificações já foram emitidas e que casos comprovados serão encaminhados ao Ministério Público.

Na live em uma rede social, o coordenador do Procon de Londrina, Gustavo Richa, fez um balanço do trabalho da fiscalização do órgão nos últimos dias. Durante a transmissão, que durou cerca de meia hora, o coordenador também respondeu perguntas dos internautas.

Questionado sobre a aplicação de multas a supermercados e lojas que estariam reajustando os preços após o início da pandemia do Coronavírus, Gustavo Richa explicou que antes de multar é preciso notificar o comerciante, até que se comprove o reajuste sem justificativa.

O coordenador do Procon disse ainda que vem trabalhando junto com o Ministério Público e que os casos comprovados serão encaminhados para investigação dos promotores e garantiu que multas serão aplicadas, caso sejam detectados aumentos abusivos.

Segundo Gustavo Richa, muitas denúncias sobre reajustes nos preços do feijão, do arroz e da carne estão chegando ao órgão. Por conta disso, alguns estabelecimentos já foram notificados e o prazo para envio das notas fiscais ao Procon está correndo. Richa afirmou ainda que está atento aos preços dos combustíveis, que vëm sendo vendidos a valores mais baixos pela Petrobrás.

Sobre os aumentos no leite, uma reclamação de vários internautas, o coordenador disse que muitos supermercados que reajustaram os preços nos últimos dias já compraram dos fornecedores com valores novos. No caso de dificuldades para pagar os boletos, principalmente os idosos, a orientação é entrar em contato com a a empresa e se não funcionar ai assim acionar o Procon.

Dezessete estabelecimentos que comercializam produtos hospitalares também já foram notificados. De acordo com o coordenador do Procon de Londrina, o órgão agora aguarda as notas fiscais de compra dos produtos para verificar possíveis irregularidades.

Gustavo Richa disse ainda que vem mantendo contato com donos de supermercados e que não há desabastecimento. Assim como outros serviços públicos municipais, o atendimento presencial do Procon também foi suspenso por decreto municipal. Denúncias podem ser feitas pelo 151 ou pelo whatsapp 9 9914 3277.

Por Marcos Garrido

Comentários