SEGUNDA, 21/01/2019, 06:00

Correios alerta sobre encomendas internacionais paradas

Após começar a cobrar uma taxa de R$ 15 para despacho, a empresa de telégrafos armazena a encomenda que depois de um tempo volta à origem se o valor não for pago.

Desde de agosto do ano passado todas as encomendas internacionais que chegam ao Brasil pelos Correios estão sujeitas à cobrança do despacho postal.

O valor cobrado é de R$ 15. Muitos ainda não sabem dessa cobrança e a encomenda fica parada por um período, quando não há o despacho ela retornar para origem.

De acordo com a assessoria de imprensa dos Correios no Paraná a medida é válida em todo o País. Nos últimos anos, o serviço era cobrado apenas para os objetos tributados pela Receita Federal. Porém, com o aumento das importações, a empresa precisou injetar mais recursos na operação para manter o padrão do serviço.

Ainda de acordo com os Correios: “O serviço refere-se às atividades de suporte ao tratamento aduaneiro realizadas pelo operador postal, como o recebimento dos objetos e inspeção por raio X, formalização da importação no sistema da Receita Federal (quando for o caso), tratamento de eventuais inconformidades (objetos proibidos, perigosos ou com exigências específicas impostas pela autoridade aduaneira para admissão), recolhimento e repasse dos impostos à Receita Federal (quando houver tributação), disponibilização de informações ao importador para desembaraço da remessa via internet, entre outras.”

O serviço cobrado pelos Correios no valor de R$ 15, segundo a empresa é quatro vezes menor que a média praticada por outros operadores logísticos para realizar procedimentos similares.

Os destinatários que estiverem aguardando encomendas do exterior devem acessar o rastreamento de objetos no site www2.correios.com.br/sistemas/rastreamento/ e realizar o pagamento do despacho postal por meio de boleto ou cartão de crédito, só assim será feito o despacho. O prazo de entrega do objeto, conforme o serviço contratado na origem, passa a contar a partir da data de confirmação do pagamento.

Outras informações e orientações sobre os procedimentos para pagamento e liberação das encomendas estão disponíveis no mesmo endereço eletrônico.

Nossa reportagem tentou entrevista com representante dos Correios, mas a manifestação e esclarecimentos vieram somente por meio de nota.

Por Bruno Carraro

Comentários