QUINTA, 25/04/2019, 18:33

Creslon deve colocar até 30 detentos para ajudarem na manutenção de Unidades Básicas de Saúde

A expectativa é que os presos do regime semiaberto iniciem as atividades ainda nesse semestre.

O Centro de Reintegração Social de Londrina – Creslon conta hoje com 330 presos que podem trabalhar durante o dia e retornam para a reclusão a noite.

Do total de detentos em média 170 já estão trabalhando, 33 estão cursando faculdade e outros estão em busca de reinserção na sociedade.

Uma parceria da prefeitura de Londrina com o Creslon vai permitir que pelo menos outros 25 detentos do regime semiaberto trabalhem nas Unidades Básicas de Saúde de Londrina.

Eles devem ajudar na manutenção das mais de 50 UBSs que a cidade tem.

De acordo com o diretor do Creslon em Londrina, Reginaldo Peixoto, a cada três dias de trabalho o detento ganha um dia de redução da pena, além de receber 75% de um salário mínimo pela prestação dos serviços.

A Câmara de vereadores já recebeu o projeto de lei que autoriza o município a contratar os serviços dos detentos.

De acordo com o diretor do Creslon, se aprovado, segue a parte burocrática de contratação e a expectativa é que ainda nesse semestre os trabalhos sejam realizados pelos detentos.

Reginaldo Peixoto ressalta que empresas podem abrir as portas e dar oportunidades para esses detentos serem reinseridos na sociedade e no mercado de trabalho.

No total serão investidos R$ 91 mil pela prefeitura para a contratação dos detentos.

O projeto de lei deve passar, nos próximos dias, pela Comissão de Justiça e Redação da Câmara Municipal para depois seguir para votação em plenário.

Por Bruno Carraro

Comentários