TERCA, 17/05/2022, 13:00

Depois de quase seis anos, Secretaria de Saúde de Rolândia volta a registrar uma morte por dengue no município

Idosa de 68 anos estava internada no Hospital Evangélico e possuía comorbidades. 

A Secretaria Municipal de Saúde de Rolândia confirmou a primeira morte por dengue no município em seis anos. A paciente era uma idosa de 68 anos, moradora do Bairro Santiago, que possuía comorbidades, no caso uma doença renal crônica.

De acordo com a Secretaria, a paciente expressou sintomas iniciais de dengue no dia 29 de abril, foi notificada para a doença no serviço municipal e veio a óbito no dia 12 de maio, no Hospital Evangélico de Londrina.

O município de Rolândia registrou 2.278 casos suspeitos desde o início deste período epidemiológico, que começou em agosto do ano passado e segue até julho deste ano. Dos quase 2,3 mil casos suspeitos, 74 foram confirmados.

De acordo com o Diretor de Vigilância em Saúde de Rolândia, Rafael Dias, os principais criadouros do mosquito aedes aegipty ainda são encontrados em pratinhos de plantas. Por isso a Secretaria reforça o pedido para que os moradores utilizem terra para dificultar a reprodução. Os ovos do mosquito são muito resistentes e sobrevivem por até um ano em um local seco. Já quando o local recebe água, como a da chuva, são necessários apenas dez dias para que um novo agente de transmissão possa se desenvolver. Em média, o mosquito sobrevive por cerca de um mês.

Em Rolândia, alguns bairros se destacaram no último levantamento rápido que mede o índice de infestação.

Conforme a Secretaria de Estado da Saúde do Paraná, a Sesa, apenas 26 municípios do estado não registravam notificações e 315 das 399 cidades registram casos confirmados. Ao todo, o estado já ultrapassa 124 mil, um crescimento de 13% no número de casos em apenas uma semana.    

O estado registra 12 mortes pela dengue desde agosto do ano passado. Dentre os pacientes que não resistiram à doença estão uma idosa de 95 anos de Cascavel, um idoso de 85 morador de Londrina e jovem de 20 anos, de Maringá.

Ao menos 39 municípios devem receber do Governo do estado o produto conhecido popularmente como fumacê, que serve para o combate do mosquito alado.

Por Vitor Struck

Comentários