SEGUNDA, 22/07/2019, 06:15

Ministério Público afirma que acompanha passo a passo contratos emergenciais do transporte coletivo

Promotora da 4ª promotoria de Justiça afirma investigar editais impugnados e todas as renovações de contratos que vem ocorrendo.

A promotora Sandra Koch, da 4ª Promotoria de Justiça de Londrina, está investigando desde maio supostas irregularidades no contrato de emergência assinado entre a CMTU e as duas empresas que operam o sistema de transporte coletivo de Londrina no fim de janeiro.

Essa já é a segunda vez que o município precisa renovar o contrato com as empresas que prestam o serviço de transporte público.

Na portaria que instaurou o inquérito civil, o Ministério Público cita a impugnação do edital de licitação do transporte coletivo pelo Tribunal de Contas do Estado no início do ano, mas não detalha quais seriam as irregularidades do contrato emergencial.

Nossa reportagem conversou com a promotora Sandra Koch, que preferiu gravar entrevista somente ao fim do inquérito, que nem mesmo ela tem previsão do fim, já que os contratos temporários e emergenciais somam dois desde o início do ano.

A promotora ressaltou a nossa reportagem, que todos os procedimentos que estão sendo adotados pela CMTU e pelas empresas de ônibus estão sendo monitorados passo a passo pelo Ministério Público. Informações como do Tribunal de Contas do estado, dos contratos e editais estão sendo reunidas e um trabalho detalhado está sendo desenvolvido desde o início das investigações.

As empresas de transporte coletivo que prestam serviço na cidade, afirmaram que os contratos emergências são de inteira responsabilidade do município.

A CMTU alega que os contratos estão dentro da legalidade e tem acatado as solicitações e demandas do MP e do TCE.

Por Bruno Carraro

Comentários