TERCA, 05/06/2018, 18:54

Oficina de aviões ainda não sabe se vai continuar as atividades após entrega de terreno para ampliação do Aeroporto de Londrina

Empresa está no local há mais de 60 anos e ainda não tem nem local para realocar equipamentos, apesar de acordo para desapropriação.  

Representantes da Codel, Procuradoria Geral da prefeitura de Londrina e da Infraero se reuniram recentemente com os proprietários da oficina de aviões próximo ao Aeroporto Governador José Richa.

A Avipar que faz manutenções em aeronaves está instalada em três terrenos que precisam ser desapropriados para continuidade dos trabalhos de ampliação do Terminal Aeroportuário.

De acordo com o advogado Antonio Baccarin, que representa a empresa, a oficina ainda não sabe se vai manter as atividades, já que ainda não tem local para realocar os equipamentos. Existia a possibilidade de uma permuta com um terreno da prefeitura próximo ao aeroporto, mas não foi possível viabilizar essa permuta, o que definitivamente poderá interromper as atividades da empresa que para atender precisa estar próxima do terminal aeroportuário.

A empresa está instalada no local desde 1952.

O acordo foi fechado para desapropriação do terreno, porém só foi feito porque não havia outra saída..

O acordo será homologado pela Justiça à partir daí serão contabilizados mais 180 dias para a empresa deixar o local.

De acordo com o presidente da Codel, Bruno Ubiratan, a empresa conquistou um prazo maior para deixar os lotes. São 12 mil metros de terreno avaliados em R$ 6 milhões.

Durante esse período a prefeitura vai levantar 80% do valor que falta para pagamento da desapropriação.

No total 56 lotes do lado norte do aeroporto começaram os processos de desapropriação em 2015. Desses, 11 ainda estão tramitando na justiça, do qual, três são da Avipar.

A expectativa é que as obras de ampliação do aeroporto, com a instalação de equipamentos de auxílio aos aviões, iniciem ainda nesse ano.

Por Bruno Carraro

Comentários