SEGUNDA, 17/01/2022, 19:42

PIX é utilizado por mais de 80% dos pequenos negócios paranaenses, revela pesquisa

Para consultora do Sebrae, agilidade e segurança da ferramenta contribuíram para crescimento do serviço que, até agora, já movimentou mais de R$ 620 bilhões.

Há pouco mais de um ano, a forma com que os brasileiros se relacionavam com pagamentos passou por uma mudança significativa, a partir do lançamento do PIX. O recurso possibilita que movimentações sejam realizadas instantaneamente entre aqueles que aderiram ao sistema.

Desde então, cerca de 115 milhões de pessoas passaram a utilizar o serviço e mais de R$ 620 bilhões foram movimentados no país por meio da ferramenta. A grande popularidade do meio de pagamento também alcançou os pequenos negócios.

De acordo com um levantamento feito pelo Sebrae, em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), 82% das microempresas paranaenses recebem via PIX. Uma pesquisa também realizada pelas entidades registrou um crescimento de 77% nas adesões ao sistema entre novembro e dezembro do ano passado, quando comparado aos meses de agosto e setembro.

Para Cinara Tozatti, consultora do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), as facilidades proporcionadas pelo PIX foram fundamentais para a consolidação da ferramenta entre consumidores e empresários.

Ela destaca que o recurso também contribui para uma redução nos custos relacionados a instituições financeiras, como mensalidades e demais taxas. Centralizando grande parte das operações neste sistema, as empresas conseguem ainda dar prioridade a outros investimentos, como divulgação do negócio e aquisição dos materiais.

A consultora avalia ainda que, para o futuro, o PIX deve continuar sendo uma ferramenta importante para o desenvolvimento dos pequenos negócios, muitos deles criados, inclusive, durante a pandemia da Covid-19.

Ainda de acordo com a pesquisa do Sebrae e FGV, nove em cada 10 empresas utilizam o sistema de pagamento para vendas, em todo o Brasil. A maior parte destes são Microempreendedores Individuais (MEI’s). Os setores de alimentação, comércio varejista e beleza estão entre os segmentos que mais usam o Pix.

Por Victor Assis

Comentários