SEXTA, 26/02/2021, 18:24

Prefeitos da região norte aprovam novo decreto para conter avanço da pandemia

Municípios já haviam se organizado para definir medidas mais rígidas. Proposta é criar regra de transição para evitar relaxamento após fim das determinações.

Com objetivo de articular ações para conter o crescimento de casos na região, os representantes dos municípios que integram o Cismepar se reuniram na manhã de sexta-feira (26) para definir medidas que valeriam para as 21 cidades.

Em entrevista ao CBN Londrina 1ª edição, o prefeito de Cambé, Conrado Scheller, explica que o encontro resultaria em um decreto, com as decisões firmadas pelo grupo. Mas durante a reunião foi divulgada a determinação do Governo do Estado, com regras para os próximos dias.

Ele afirma que o decreto estadual vai prevalecer, mas ao final do prazo do documento, devem ser apresentadas regras de transição para evitar novos afrouxamentos nas medidas de prevenção à Covid-19.

Aquiles Takeda, prefeito de Marilândia do Sul e presidente do Consórcio Paraná Saúde, instituição que representa 398 municípios paranaenses acredita que as ações apresentadas pelo decreto estadual são efetivas e importantes para a atual situação da pandemia no Paraná. Ele considera que o estado vive um dos momentos mais críticos até o momento e pede o apoio da população às medidas determinadas.

O prefeito de Ibiporã, José Maria, também reforça a importância da adesão da sociedade às determinações publicadas pelo Governo do Estado. Ele afirma que houve um crescimento da contaminação e as medidas apresentadas pelo decreto são essenciais para que o sistema de saúde dos municípios não sejam estrangulados pelo grande volume de internações.

A prefeitura de Londrina informou que vai seguir o decreto estadual e todas as medidas apresentadas. Dentre as determinações, o documento define a suspensão de serviços e atividades não essenciais, toque de recolher das 20h às 5h e suspensão de aulas presenciais em escolas públicas e privadas, como também em instituições de ensino superior e cursos técnicos.  As medidas valem a partir de hoje e vão até o dia 8 de março.

Por Victor Assis

Comentários