QUARTA, 01/07/2020, 19:46

Prefeitos da região se reúnem e, apesar das dúvidas, decidem seguir decreto estadual

Um dos questionamentos é sobre quem vai fiscalizar as medidas determinadas pelo governador. Prefeitos também receberam recomendação do Ministério Público Federal para que decreto seja cumprido.

A reunião, que já é realizada mensalmente pela Associação dos Municípios do Médio Paranapanema, Amepar, foi antecipada em dois dias, por conta do decreto anunciado pelo governador Ratinho Júnior, que determinou o fechamento dos serviços não essenciais nas áreas sob a responsabilidade de sete regionais de saúde do estado. Participaram da teleconferência, que teve como objetivo principal detalhar o decreto, os prefeitos de quase todas as 22 cidades que fazem parte da Associação.

O prefeito de Cambé, José do Carmo, questiona alguns pontos do decreto, o principal deles é quem vai fiscalizar as determinações, mas diz também que vai cumprir as medidas definidas pelo Governo, apesar de discordar e afirmar que a cidade deveria ter tido um tratamento diferente.

Por outro lado, o prefeito de Rolândia, Luiz Francisconi Neto, diz que vai seguir o decreto e que não vê dificuldades de colocar em prática as novas normas e afirma ainda que as determinações mostram a intenção do Governo do Estado em regionalizar o combate à pandemia.

O prefeito de Ibiporã, João Coloniezi, cita a recomendação expedida pelo Procurador da República, Raphael Bueno Santos, do Ministério Público Federal em Londrina, que orienta todos os municípios da 17ª Regional de Saúde e da 18ª, que fica em Cornélio Procópio, a cumprirem rigorosamente as determinações do decreto.

Coloniezi diz que não há o que fazer e que vai dar publicidade ao decreto e seguir as determinações, apesar de discordar dele, e afirma ainda que muitos prefeitos reagiram com indignação às novas regras.

Na recomendação, o Procurador da República fixa o prazo de 48 horas para que as prefeituras informem o cumprimento da Recomendação.

Por Marcos Garrido

Comentários