SEGUNDA, 20/01/2020, 19:08

Prefeitura de Londrina vai ter que pagar mais de R$ 6 milhões para família vítima de ataque de Guarda Municipal

Ricardo Leandro Felippe, matou três pessoas em abril de 2017 depois de um surto contra a ex-companheira.

A justiça condenou a Prefeitura de Londrina a pagar indenização de R$ 6,2 milhões por danos morais aos familiares de Rachel Espinosa, ex-companheira do guarda Ricardo Leandro Felippe.

Em 2017, Ricardo sofreu um surto psicótico e matou três pessoas que faziam parte do convívio de sua ex-companheira. Entre eles o pai e o filho de Rachel, uma sócia dela também foi assassinada.

A sentença, dessa vez beneficia a família de Rachel Espinosa que determina, além do pagamento de danos morais, o pagamento de pensão vitalícia no valor de R$ 1,7 mil mensais a Maura Espinosa de Gouveia Siena, mãe de Rachel.

O juiz ainda estipulou pagamento de danos materiais correspondentes ao valor dos medicamentos e tratamentos de saúde das vítimas.

De acordo com o advogado Jean da Silva, defesa de Rachel Espinosa, a decisão ainda cabe recurso.

A família da sócia de Espinosa, a outra vítima morta durante o surto de Ricardo Felippe, em 2017, também aguarda decisão definitiva da justiça sobre um pedido de indenização.

Em nota a prefeitura se manifestou por meio da Guarda Municipal.

"A Secretaria Municipal de Defesa Social informa que em relação à ação de indenização por dano moral, promovida contra o município, por conta dos atos do ex guarda municipal Ricardo Leandro Felippe, será elaborada defesa por parte do município, e só haverá pronunciamento nos autos do processo".

Ricardo está morto, ele foi encontrado enforcado, em 2018, na cela onde estava detido na PEL II.

Por Bruno Carraro

Comentários