QUINTA, 23/08/2018, 18:34

Se não conseguir liberar uso do glifosato, governo vai recorrer ao STJ

Entidades rurais já se posicionaram contrárias à suspensão da venda do herbicida.

A novela sobre a suspensão do uso do glifosato ganha novo episódio. O Ministro da Agricultura Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, anunciou que a Advocacia Geral da República - AGU recorreu da decisão da Justiça Federal que suspendeu o registro de defensivos que contenham o ingrediente ativo glifosato. Além dessa ação, o Ministro afirmou que caso não seja revertida a decisão o governo entrará com processo no Supremo Tribunal Justiça, última estância para avaliar se é procedente ou não a suspensão do glifosato.

Blairo Maggi comentou que uma eventual proibição do uso do agroquímico impediria o plantio de 95% a 97% das áreas de soja, milho e algodão.

Entidades rurais já se posicionaram contrárias à suspensão da venda do herbicida, que é o caso da Federação de Agricultura do Paraná - FAEP, que foi a primeira entidade a entrar com ação contra a decisão da Justiça Federal.

No pedido a instituição pede para que o Ministério trabalhe contra a decisão e consiga reverte-la o mais rápido possível. Ágide Meneghetti, presidente da FAEP, diz que isso é um retrocesso contra a agricultura moderna.

Ágide ainda comenta que a suspensão da comercialização do herbicida vai atingir principalmente o Paraná, que além de ter o Programa de Integração Lavoura-Pecuária e Floresta, é o segundo maior produtor nacional de soja e ambos necessitam do produto.

As plantações da safra de verão começam em menos de 30 dias, e o glifosato é responsável por eliminar ervas daninha e domina mais da metade do mercado mundial de herbicidas.

Por Bruno Carraro

Comentários