TERCA, 14/09/2021, 18:26

Temporal deixa rastro de destruição em Londrina e outras cidades da região

Com rajadas de vento de mais de 62km/h, dezenas de árvores caíram e milhares de casas ficaram sem energia e algumas foram destelhadas.

O temporal, que veio acompanhado de fortes rajadas de vento e atingiu toda a região no início da tarde desta terça-feira, deixou cerca de 25 mil domicílios sem energia só em Londrina. No fim da tarde, a Copel atualizou os dados e informou que o número tinha baixado para 11 mil. Segundo a Companhia, outros 9 mil imóveis de Cambé e cerca de 2 mil em Ibiporã também ficaram sem luz. O temporal também causou estragos e deixou árvores caídas em Rolândia.

Segundo a empresa, as equipes de manutenção começaram a trabalhar nas redes danificadas logo após o temporal e continuariam o serviço durante toda a noite e a madrugada para reestabelecer o fornecimento nesses locais. Em toda a região, de acordo com a Copel, foram 269 ocorrências. Entre as principais causas de desligamento, os raios e a queda de galhos e árvores sobre a rede elétrica. A companhia informou ainda que contabilizou um total de sete postes quebrados.

Com a falta de energia, 12 semáforos da cidade pararam de funcionar. Entre eles, alguns localizados em avenidas importantes da área central de Londrina, como o da JK com Higienópolis e o da Maringá com a Tiradentes. De acordo com a CMTU, as equipes de manutenção começaram a trabalhar assim que a chuva parou. Com o problema, o trânsito ficou caótico em diversos pontos da cidade e os motoristas precisaram ter muita paciência.

O técnico em manutenção da Companhia, Aparecido Santos, que trabalhava para reestabelecer o funcionamento do semáforo da Maringá com a Tiradentes durante a tarde, conversou com a reportagem da CBN Londrina e já previa algumas horas de muito serviço pela frente.

Segundo a CMTU, dez árvores, algumas de grande porte, não resistiram à força dos ventos e tombaram. Na avenida Maringá, uma delas deixou a pista interditada nos dois sentidos na altura do cruzamento com a Castelo Branco. Na esquina das ruas Belo Horizonte e Piauí, outra árvore, com mais de 10 metros de altura, também caiu em cima  da rede elétrica e deu muito trabalho para as equipes da Copel.

No fim da tarde, a Defesa Civil de Londrina informou que tinha contabilizado 31 árvores caídas por toda a cidade e cinco casos de destelhamento de casas. Segundo o órgão, a Estação Londrina do Simepar registrou entre o meio-dia e as 13h, rajadas de vento de mais de 62 km/h. A Defesa Civil montou um ponto de distribuição de lona para as famílias afetadas pelo vendaval na zona norte da cidade. Para emergências, o telefone do órgão é o 199.

A Sanepar também informou que, em função da falta de energia nas unidades de produção do ribeirão Cafezal e do Tibagi, alguns bairros de Londrina e Cambé também poderiam sofrer com o desabastecimento. A empresa orientou que as pessoas evitassem desperdiçar água e priorizassem o uso para higiene pessoal e alimentação.

Por Marcos Garrido

Comentários