SEXTA, 31/01/2020, 17:38

40% da população de Londrina ainda precisa se imunizar contra a febre amarela

O vírus está circulando cada vez mais perto e a procura pela vacina nas unidades de saúde ainda é baixa.   

São 40 casos confirmados de morte em macacos com febre amarela no Paraná, dois casos em Sapopema. Isso significa que o vírus está circulando cada vez mais perto. O macaco não transmite a doença, mas o mosquito Aedes aegypiti, e a proliferação nessa época do ano é maior.

Apesar alto do risco, 40% dos londrinenses que precisam se imunizar contra a doença ainda não buscaram a vacina, que é de graça, nos postos de saúde.

De acordo com a diretora de vigilância em saúde, Sônia Fernandes, é importante que pessoas do público alvo tomem a vacina.

Sônia ressalta que a procura pela imunização ainda é muito pequena nas Unidades Básicas de Saúde.

A vacina é indicada para crianças a partir dos nove meses, com reforço aos quatro anos, e para adultos até os 59 anos. Para gestantes, mulheres que amamentam, crianças até nove meses de idade, adultos maiores de 60 anos, pessoas com alergia grave a ovo ou imunodeprimidos, a recomendação é que só sejam vacinados com a avaliação de um profissional de saúde.

Ainda não há casos de febre amarela em humanos no estado de julho do ano passado até aqui. O Paraná segue em alerta com 15 casos em investigação. De julho de 2018 e junho de 2019, foram confirmados 17 casos da doença e uma morte.

Por Bruno Carraro

Comentários