TERCA, 17/07/2018, 18:40

Prefeitura de Londrina tranquiliza população sobre possível surto de sarampo e divulga campanha de vacinação que será em agosto

O Brasil foi declarado livre da doença em 2016, mas três estados já têm casos confirmados.

Amazonas, Roraima e Rio Grande do Sul já contabilizam mais de 500 casos confirmados de sarampo. O Rio de Janeiro ainda investiga quatro casos.

A Organização Pan-Americana de Saúde – Opas, havia declarado, em 2016, o Brasil livre da doença.

O sarampo é uma doença infecciosa aguda, de natureza viral, grave, transmissível e extremamente contagiosa. Complicações infecciosas contribuem para a gravidade do sarampo, particularmente em crianças desnutridas e menores de um ano.

De acordo com o Secretário Municipal de Saúde, Felippe Machado, não existe motivo para pânico, em Londrina e no Paraná não há registros, com isso as famílias devem ficar atentas ao calendário da campanha nacional lançada pelo governo federal.

A campanha começa dia 6 de agosto e segue até o dia 31, do mesmo mês. As crianças entre um e 5 anos de idade devem ser imunizadas.

A Secretaria Municipal de Saúde ainda não tem o número de crianças que devem ser vacinadas em Londrina. Mas a recomendação técnica é que todas as pessoas, independente da idade, que forem viajar para áreas endêmicas sejam vacinadas.

Os sintomas do sarampo incluem febre alta acima de 38,5°C; erupções na pele; tosse; coriza; conjuntivite; e manchas brancas que aparecem na mucosa bucal, conhecidas como sinais de Koplik e que antecedem de um a dois dias antes do aparecimento da erupção cutânea.

A vacinação contra o sarampo é a única maneira de prevenir a doença.

A cobertura vacinal em Londrina, principalmente de crianças, nos últimos anos, está abaixo daquilo que é considerado ideal, que é 95% de cobertura. Em 2017, na cidade, foram imunizadas 87% das crianças que se enquadram no público alvo.

Por Bruno Carraro

Comentários