SEGUNDA, 24/05/2021, 07:10

Apesar de queda na exportação da soja nos primeiros meses de 2021, produtor paranaense tem remuneração maior pela tonelada do grão

Volume de vendas foi diretamente afetado pelos impactos da longa estiagem no estado.

O último boletim agropecuário divulgado pelo Departamento de Economia Rural do Paraná (Deral) mostra que o estado enviou ao exterior 4,4 milhões de toneladas do grão entre janeiro e abril deste ano. O quantitativo aponta para uma queda significativa na exportação, com redução de mais de 27% nas operações, quando comparado ao mesmo período de 2020.

No entanto, mesmo com menor volume do produto comercializado, a soja paranaense foi negociada por um preço acima do registrado no ano passado. O relatório indica que cada tonelada exportada foi vendida, em média, pelo valor de US$ 423, o que representa uma elevação de 21,36% na remuneração.

De acordo com o economista do Deral e analista da cultura da soja, Marcelo Garrido, este aumento foi responsável pela aplicação de mais de R$ 1,5 bilhão no estado.

Ele afirma que o principal fator para queda da produção nos primeiros quatro meses do ano foram as condições climáticas desfavoráveis para as lavouras. A seca prolongada que atingiu o Paraná no início deste ano comprometeu o plantio da soja, atrasando a colheita e causando perdas que impactaram diretamente no volume exportado.

O Boletim de Conjuntura Agropecuária do Deral também trouxe atualizações sobre outras culturas produzidas no estado, como o trigo, que pôde avançar na semeadura em algumas regiões, por conta das últimas chuvas registradas.

O relatório também apresentou uma valorização expressiva do milho, que teve um crescimento de 140% no valor de venda da saca de 60 quilos, em comparação a maio de 2020, atualmente comercializada pelo valor de R$ 96,37.

 

COM INFORMAÇÕES DA AGÊNCIA ESTADUAL DE NOTÍCIAS,

Por Victor Assis

Comentários