SEGUNDA, 10/05/2021, 07:10

Dia das Mães foi positivo para comércio, mas tendência digital continua crescendo e mais pessoas aderem a serviços virtuais

Força das vendas online se confirma e lojas se adaptam com plataformas tecnológicas para aquecer vendas em tempos de pandemia.

Uma das datas mais esperadas pelo comércio, o Dia das Mães é responsável pelo segundo maior faturamento do ano, perdendo apenas para o natal. Diante dos impactos econômicos causados pela pandemia da Covid-19, com restrições para funcionamento das lojas e redução do consumo da população, a expectativa pelos dias que antecedem a comemoração era de aumento na procura por presentes para as mães.

Pâmela Brandão, vendedora em um centro comercial da zona oeste da cidade, diz que o movimento teve um crescimento considerável, mas aponta que, neste ano, os consumidores buscaram ofertas e promoções, dando preferência a produtos mais em conta.

Outro efeito da pandemia, foi a mudança no perfil de consumo da população, que encontrou nos meios digitais, alternativas seguras e vantajosas para as compras. Daniela Kieski, de 23 anos, optou por comprar o presente da mãe e da avó pela internet. Ela afirma que as facilidades das plataformas virtuais foram decisivas.

A demanda pela compra online também foi percebida por uma loja de calçados, que disponibilizou o serviço virtual para os consumidores. Silvana Soares, gerente do local, diz que nas últimas duas semanas, o movimento no estabelecimento cresceu significativamente, mas que ainda é cedo para confirmar se as vendas serão o suficiente para uma recuperação no faturamento.

A pesquisa da Acil, divulgada na semana da data mostrou a tendência do comércio virtual. De acordo com o levantamento, 58% dos consumidores londrinenses deram preferência aos meios digitais. Até o ano anterior à pandemia, em 2019, este percentual era inferior a 6%. A estimativa da Associação prevê que as compras do Dia das Mães devem injetar cerca de R$ 6 milhões na economia da cidade.

Por Victor Assis

Comentários