QUARTA, 16/10/2019, 18:52

Em visita a Londrina governador diz que não pode interferir no valor dos pedágios até 2021

A região de Londrina tem um dos pedágios mais caros do estado.

Durante visita a Londrina o governador Ratinho Junior, do PSD, foi questionado pela imprensa sobre os valores dos pedágios na região.

A briga na justiça nos últimos meses tem feito os valores em praças como de Jataizinho e de Cambará que foi reativada apresentarem quedas e elevações constantes.

As ações têm sido alvos de protestos, inclusive com aumento no número de motoristas que tentam passar sem pagar o pedágio.

A concessionária que administra a praça de Jataizinho chegou a colocar lombadas redutoras de velocidade no acesso ao guichê e cancelas extras para impedir que motoristas furem o pedágio sem pagar. A Justiça determinou que cancela e lombadas fossem retiradas.

O governador Ratinho afirmou que não pode interferir nos valores cobrados atualmente pelas concessionárias do estado.

Segundo o governador, o contrato vence somente em 2021 e só depois disso poderá promover medidas que reduzam os valores.

A intenção é criar um pacote de novas concessões que reduza drasticamente os valores no Paraná que está entre os mais altos do País.

O governador foi questionado ainda sobre a contratação de novos profissionais para a Polícia Civil. Segundo Ratinho Junior o concurso já foi autorizado para contratação de 500 profissionais que englobam agentes investigadores e delegados.

Sobre a falta de delegado no Gaeco de Londrina, o governador falou que mais de 150 cidades do estado estão sem delegados.

Ainda durante a coletiva de imprensa o governador Ratinho Junior foi questionado sobre os mais de 50 auditores fiscais que ocupavam cargos comissionados terem pedido exoneração após troca no comando da Receita Estadual. O diretor-geral da Receita, Luiz Fernando de Moraes Junior foi substituído por Roberto Zaninelli Covelo Tizon, no início desse mês. Após ter sido questionado, Ratinho Junior simplesmente disse que fez trocas necessárias e que os que pediram exoneração dos cargos de comissionados foram remanejados.

Por Bruno Carraro

Comentários

Publicidade