TERCA, 07/12/2021, 08:36

Governo propõe aumento de quase 50% e piso dos professores passa para R$ 5,5 mil em 2022

Recursos para bancar despesas da nova folha da categoria passam de R$ 674 milhões. Aumento médio chega a 20%.

O anúncio do chamado pacote de valorização profissional dos professores foi feito em uma solenidade no Palácio Iguaçu na manhã desta segunda-feira, e reuniu, além do governador Ratinho Júnior, o vice Darci Piana, e o secretário de Educação, Renato Feder. De acordo com o Governo, a partir de janeiro do ano que vem, nenhum dos mais de 66 mil professores da rede estadual vai receber menos de R$ 5.545 mensais. 

Pelo projeto de Lei, o reajuste em relação ao piso atual, que é de R$ 3.730 para 40 horas semanais, será de 48,7%. Segundo o Governo, a proposta vai beneficiar principalmente os mais de 22,4 mil professores em início de carreira, efetivos e temporários.

De acordo com Executivo, o projeto de Lei é uma forma de valorização do magistério e faz parte de um processo que busca fazer do Paraná o estado com o melhor sistema educacional público do País.

A proposta foi encaminhada à Assembleia e traz ainda a manutenção do pagamento do vale-transporte de R$ 842, a implantação de uma gratificação de R$ 800 e a progressão de carreira fica mantida nos moldes atuais. Os recursos para bancar os novos gastos com a folha dos professores são do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica, o Fundeb, e passam de R$ 674 milhões. 

Durante a solenidade no Palácio Iguaçu, o governador afirmou que o aumento é um dos maiores do País e representa a valorização da categoria. Ratinho Júnior disse ainda que o reajuste não coloca a saúde financeira do Estado em risco.

O secretário Estadual de Educação, Renato Feder, disse durante a entrevista coletiva no Palácio Iguaçu que, com o aumento, a ideia é tornar o início de carreira mais atrativo para os professores, sejam temporários ou de carreira.

Outras duas mudanças trazidas na proposta do Governo enviada à Alep é que, a pedido do Tribunal de Contas do Estado, o vale-transporte deixará de ser pago durante as férias e não terá mais reflexo sobre o 13º. Outra novidade é que o adicional noturno passará a ser contabilizado a partir das 22 horas.

A CBN Londrina fez um pedido de entrevista à diretoria da regional Norte da APP-Sindicato para repercutir o anúncio do reajuste, mas não tivemos retorno até o fechamento da reportagem. 
 

Por Marcos Garrido

Comentários