TERCA, 30/06/2020, 19:07

Decreto do governador determina fechamento de serviços não essenciais por 14 dias a partir de hoje em sete regiões do estado

Na região, Londrina e Cornélio Procópio estão entre as cidades que devem cumprir as medidas.  Novas cidades podem ser incluídas na quarentena a qualquer momento.

O Governador Ratinho Junior, durante coletiva a imprensa na tarde desta terça-feira, anunciou medidas de contenção à transmissão do novo Coronavírus no Paraná.

As medidas foram amplamente debatidas, segundo o governador, antes da tomada de decisão oficial.

Sete regionais de saúde do estado deverão cumprir as determinações por meio do decreto estabelecido e assinado na tarde desta terça-feira, passando a vigorar neste dia 1º de julho, por 14 dias seguidos.

Obrigatoriamente as cidades de Curitiba e região metropolitana, Cascavel, Londrina, Foz do Iguaçu, Toledo, Cornélio Procópio e Cianorte deverão cumprir já a partir dessa quarta. As atividades que devem se manter são somente os serviços essenciais e setores da cadeia produtiva essencial.

As demais cidades do entorno das que foram determinadas no decreto, é sugerido que também façam o fechamento no mesmo período. Porém, foi muito reforçado pelo governador que as cidades citadas no decreto são obrigadas a cumprirem o decreto. As medidas vão impactar quase 6,3 milhões de pessoas, em 134 cidades do Paraná.

Segundo Ratinho Junior, a decisão leva em conta a taxa de incidência da Covid por 100 mil habitantes, o número de mortes por 100 mil habitantes e a ocupação dos leitos de UTI.

São 14 dias – se necessário será prorrogado por mais 7 dias.  Ficam restringidas as atividades econômicas não essenciais (shoppings, galerias, comércio de rua, feiras, salões de beleza, academias, bares, casas noturnas).

O governador ressalta que não é um lockdown – que seria o fechamento total, mas sim, uma quarentena. Falta de medicamentos e profissionais estão entre as justificativas da decisão do governo.

Ainda de acordo com o governador o setor de epidemiologia da Secretaria Estadual de Saúde fez um estudo que apontou que 75% do aumento dos casos da doença estão relacionados a 134 municípios do estado, em grande parte nas regiões onde será aplicada a quarentena de duas semanas a partir de hoje.

O transporte público poderá atender somente os funcionários dos serviços considerados essenciais, e os veículos só poderão circular conforme a quantidade de assentos.

O funcionamento dos mercados ficará restrito de segunda a sábado, das 7h às 21h. O fluxo ficará limitado a 30% da capacidade total, devendo ser controlado com a distribuição de senhas. O acesso será limitado a uma pessoa da família e está proibida a entrada de menores de 12 anos.

Fica suspenso o funcionamento de serviços de conveniência em postos de combustíveis – exceto nas rodovias.

Restaurantes e lanchonetes poderão atender somente no sistema drive-thru, delivery ou take away (retirada no balcão).

Reuniões profissionais ou pessoais devem ser realizadas virtualmente e, quando necessário, com no máximo 5 cinco pessoas e afastamento de 2 metros entre si.

A abertura de parques, praças e demais áreas coletivas ao ar livre fica a critério de cada prefeitura.

A fiscalização será realizada pela Polícia Militar em parceria com as Guardas Municipais, sob pena de multa em caso de descumprimento.

Também serão suspensas as cirurgias eletivas diante da escassez de medicamentos anestésicos e relaxantes musculares.

Em parágrafo único o decreto estabelece que qualquer outra cidade do estado que apresente aumento no número de casos de forma exponencial poderá ser incluída no decreto a qualquer momento.

“Se em razão de atualização do cenário epidemiológico realizado pela Secretaria de Estado da Saúde houver necessidade de inclusão de Região de Saúde em novo Decreto, prazo vigência do presente Decreto passa a contar desde o seu início para a região em questão”.

Por Bruno Carraro

Comentários