SEXTA, 26/06/2020, 08:35

Projeto que cria novo tipo de homenagem na Câmara de Vereadores não consegue avançar

Desta vez, questionamento sobre o custo da moção honrosa ao legislativo fez com que proposta fosse encaminhada á comissão de finanças

O projeto de lei que cria a moção honrosa, mais uma modalidade de homenagens na Câmara de Vereadores,
novamente emperrou na segunda discussão. Desta vez, por conta de um ofício apresentado por Mário Takahashi, que
pede a análise do projeto pela Comissão de Finanças. Segundo o vereador, o projeto traria custos ao Legislativo, e
esbarraria em uma lei federal aprovada este ano que trata da criação de gastos em meio à pandemia do Coronavírus.


O projeto tramita na Câmara desde agosto do ano passado, e prevê a criação de um certificado que não exige
realização de cerimônia, podendo ser entregue fora do ambiente da Câmara.

Na primeira votação, integrantes da Mesa Diretora apresentaram votos contrários ou se abstiveram, sob o argumento
de que a iniciativa banalizaria as outras homenagens já existentes, como Cidadão Honorário e Medalha Ouro Verde.

No começo da segunda discussão, no início de junho, outro entrave, novamente envolvendo o vereador Mário
Takahashi. Ele questionou o fato do projeto não prever anonimato durante a análise, como ocorre com as outras
homenagens, decididas em sessão secreta. A indagação até resultou em um leve bate-boca entre Takahashi e o autor
da proposta, João Martins.

Com o pedido de Takahashi para que a proposta seja analisada pela Comissão de Finanças, será necessário aguardar
o parecer para que o projeto volte a ser discutido em plenário.

Por Marco Feltrin

Comentários